O diretor de teatro Gerald Thomas usou e abusou da liberdade de expressão, sem qualquer censura, ao tocar no fruto não tão proibido da ex paniquete Nicole Bahls. O episódio não causaria tanto alvoroço se envolvesse duas pessoas do mesmo sexo e seria caso de polícia se o ato libidinoso fosse praticado por um Geraldo qualquer, negro e pobre.

O artista justifica a sua conduta pela forma de vestir e se comportar da moça. Pelo menos ele é sincero. Tarado, mas sincero.

Antigamente, a família da moça solteira não admitiria tal ousadia e sociedade se revoltaria contra o artista, cujos aplausos se tornariam vaias com tomates.

Os tempos mudaram, o tomate está caríssimo e as mulheres sem nenhum valor.

Vai entender…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *