Até que ponto vale preservar os filhos das angústias da separação?

Ticiane Pinheiro e Roberto Justus, mesmo após divulgarem o rompimento da relação, permaneceram convivendo sob o mesmo teto para preservar a filha.

Juridicamente, ambos estariam livres para novos relacionamentos (casamento só após o divórcio), mas, moralmente, a conduta é questionável. Deve ser duro conviver com o ex-marido envolvido com outra pessoa, ainda mais quando é colega de trabalho, linda e bem mais nova… Nada justus.

Bom, Tici já avisou que chegou no seu limite, assinou o divórcio e vai se mudar. Deu para entender que a preservação da filha está limitada à sua honra e dignidade como mulher, mãe e esposa.

Quanto ao patrimônio, não há nada muito relevante, pois dinheiro não parece ser o problema. Mas respeito é bom… e não se compra!

2 Responses

  1. Tive uma batalha judicial ,onde perdi.
    A guarda ficou com o pai.
    hoje voltei com o pai me casei e ele ainda trabalha para que mina filha não ter contato comigo.E le diz que não tem tempo que trabalha muito, não tem culpa . Ele não me ajuda eu ter contato aproximação e passeios com ela e assim cada vez menos ela quer saber de mim. Fico muito triste com isso, pai egoísta, amor de pai que prejudica a própria filha afastando filha e mãe.Socorro a quem poça me ajudar.
    Gostaria de um numero de telefone para fala , pois a minha história é muito complicada nãzo conheço os meus direitos , o que fazer.

    1. Olá Yolanda, clique no menu Conte seu Caso para garantir a sua privacidade e diga qual a sua dúvida para que eu possa te orientar. Abraço, Lúcia Deccache.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *