Seus Direitos / Diversos

Filhos de coleira

Solta seu filho da coleira!

Parece que a mãe ouviu meu berro mental enquanto corria atrás do menino preso, que corria atrás do meu filho solto. Não havia multidão ou qualquer tipo de perigo na ala infantil da vazia Livraria da Vila, numa manhã de segunda feira. Mas a criança estava lá, encoleirada! Juro que evitei demonstrar o ar de reprovação, só que o menino insistia em brincar com o Lucas e a mãe resolveu assobiar. Assobiar? Era demais para o meu autocontrole que, convenhamos, já não é muito forte. Ela veio se justificar… Só faltava me dizer que a criança não morde.

– É que ele cai muito. Então, uso a coleira em qualquer lugar para protegê-lo.

Numa luta interna, meu lado simpática prevaleceu…

– Bom, deve ser seu primeiro filho, né?

Ela sorriu  e comecei a pensar no que dizer. Bom, primeiro, ela deveria saber que quem aprende a andar, tem que aprender a cair; quem aprende a falar, tem que aprender a ouvir; quem quer subir, tem que aprender a descer… Ou será que ela estava disposta a passar a vida atrás dele? Não falei. O problema é que ela acrescentou, sorrindo:

– Uso até em casa!

Não pensei, falei:

– Olha, todos nós envelhecemos e, um dia, precisaremos da proteção de nossos filhos… espero que ele não se lembre da coleira!

Humildemente, a moça soltou o rapazinho e disse:

– Tem razão, não tinha pensado nisso.

Libertou o filho e o Lucas ganhou um amigo, livre!

 

 

Conte conosco