Nenhum banner cadastrado


Seus Direitos

Dicas jurídicas sobre diversos temas de direito de família em linguagem acessível para uma decisão segura.

Conte seu Caso

Quem nunca passou por um problema familiar? Sua experiência pode ajudar outras famílias.

Clique Aqui
blog
Prazer em te conhecer, Pai

O ator Caio Blat passou doze anos privado de conviver com seu filho Antonio. Sua ex mulher, Ana Ariel, insatisfeita com [...]

Leia Mais
A Guarda Compartilhada reduz o valor da pensão? E agora, Lúcia?
 

Blog

  • por Lucia Deccache
  • Enquete
  • O que vc faria se amasse alguém fora do casamento?
    Loading ... Loading ...
União Estável
5 de abril de 2013
Infelizciano
Enviado por Lucia Miranda

Marco Feliciano serviu para fechar os olhos da sociedade e abrir portas de armários. Ao assumir uma inócua comissão sem poder de decisão, abafou a nomeação dos condenados no mensalão, José Genoino e João Paulo Cunha, para a importantíssima Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania.

É claro que o infeliz Feliciano não combina com direitos humanos, não só pelas afirmações que induzem ao racismo e à homofobia, mas pela forma com que vende um lugar no céu para fiéis que sequer têm um lugar ao sol. Lamentável.

Com a polêmica, houve uma avalanche de protestos gays fazendo surgir dois extremos: de um lado, o lobo com pele de cordeiro, de outro, o veado com pele de onça… Melhor manter o nível no estilo cantoras de MPB, pois se o debate virar baixaria – beijaços sem amor – cairemos nas garras do lobo.

Pensem comigo: o Supremo Tribunal Federal já equiparou as uniões homoafetivas às uniões estáveis; o Superior Tribunal de Justiça acaba de determinar a competência das varas de família para julgar os conflitos decorrentes dessas uniões; o Conselho Nacional de Justiça já determinou aos Tribunais de Justiça Estaduais que regularizem o casamento gay perante seus cartórios, o que já se tornou possível em vários Estados. Qual a importância desse tal Feliciano? Acorda Brasil!

Faltam caracteres.

aviso

  1. Gabriel Monteiro disse:

    Concordo com vc, na Justiça as conquistas foram grandes. Mas quando vc coloca na fala de um deputado palavras de homofobia, isto gera sim, violência. Violência nas ruas. Gays apanhando e morrendo porque algumas pessoas acham que podem fazer isso. Gay é coisa de demônio então posso bater, posso matar porque Deus está do meu lado. E o mesmo acontece com negros, nordestinos, terreiros de candomblé sendo atacados e destruídos. É isso que se está falando. Da vida cotidiana. Se todo mundo que sofre preconceito fosse buscar a Justiça a cada agressão seria uma prova de que a Lei está fraca, sem efeit

    • Mario disse:

      De quem violência tu tá falando? Quantos homosexuais morreram pelas mãos de evangélicos influenciado pelo dito pastor?
      Antes de falar presta atenção nos dados.
      O próprio movimento LGBT já publicou os dados sobre assassinatos de homosexuais e na lista de assassinos não consta um único evangélico, pelo contrário, a maioria morreram em docorência de crimes passionais praticados pelos próprios parceiros.

  2. Arno Frank Schropfer disse:

    Não sou a favor de Feliciano no cargo e nem contra, o causa espanto nessa polêmica é que a viadagem levou séculos para assumir o que são e agora querem que todo o mundo engula a sua opção e mais, querem um status social que nenhum outro brasileiro tem. Tenha dó! Não sou homofóbico, por enquanto, mas, a continuar estes exageros, já, já serei mais um. Está me dando nojo profundo disso tudo…

  3. Guilherme de Oliveira disse:

    Eu concordo com Marco Feliciano pois essa sociedade precisa abrir os olhos praas coisas q estao acontecendo, em q mundo gays podem constituir uma família se pra ter filho é preciso de um homem e uma mulher!!! epor outro lado nao sao as atitudes dele q encomodam verdadeiramente e sim por ele ser um pastor evangelico que fala o que pensa sem medo das consequencias porque protege a idéia q familias devem ser constituidas por pai, mãe e filhos… as pessoas estao tão acomodadas com a falta de boas atitudes que quando um aparece e toma uma atitude dessas fazem de tudu pra ir contra essas idéia.

União Estável
5 de março de 2013
O dedo-duro de Chalita
Enviado por Lucia Miranda

Em tempo de igualdade nas relações afetivas, a mídia vem usando a duvidosa sexualidade do deputado Gabriel Chalita como chamariz para as notícias sobre corrupção, enriquecimento ilícito, fraudes e improbidade administrativa que o cercam.

Na semana passada, um ex-assessor dedo-duro do então deputado entregou ao Ministério Público um dossiê que justifica o espantoso aumento da riqueza de Chalita na ordem de 1.950% após o ingresso na carreira política. Os documentos incluem a aquisição de três imóveis durante a relação de amizade entre o alcaguete e o deputado, obras realizadas em seu apartamento à custa de empresa beneficiada pelo governo, contas no exterior e participação em offshores.

Opa! Qualquer semelhança com a prova pré-constituída para uma ação de dissolução de união estável com partilha de bens, é mera coincidência…
Só que produto de crime não entra, tá?

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso

Famílias Múltiplas, Filiação, União Estável
19 de outubro de 2012
Paizão Biológico Ricky Martin
Enviado por Lucia Miranda

Ricky Martin é pai biológico de gêmeos gerados por barriga de aluguel, assim como Elton John e outras celebridades. No Brasil, casais do mesmo sexo masculino estão impedidos de realizar o sonho da paternidade biológica, por ausência de útero próprio e pela proibição de sua locação. Apesar da igualdade de direitos entre a união homoafetiva e a união estável, a lei dos homens esbarrou na Lei de Deus.

No Brasil, o útero está fora do comércio, assim como qualquer parte do corpo. Excepcionalmente, a gestação em útero alheio é permitida para os casos de gravidez de risco, mas a gestante deve ser mãe, filha ou irmã da mãe biológica que, pela idade gestacional, geralmente incumbe à irmã. A substituição uterina de parentes do marido, requer autorização do Conselho Federal de Medicina, que já está estudando a sua liberação a pedido de alguns Conselhos Regionais.

Ocorre que, os direitos dos maridos devem se estender aos dos companheiros e, destes, aos casais do mesmo sexo, segundo o STF. Com essa brecha, vai ter muita criança com a cara da titia…

 

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso