Nenhum banner cadastrado


Seus Direitos

Dicas jurídicas sobre diversos temas de direito de família em linguagem acessível para uma decisão segura.

Conte seu Caso

Quem nunca passou por um problema familiar? Sua experiência pode ajudar outras famílias.

Clique Aqui
blog
O custo de ser princesa

 O polêmico príncipe Harry se encantou pela atriz Meghan Markle e sua carreira pode estar com os dias contados caso ela [...]

Leia Mais
A Guarda Compartilhada reduz o valor da pensão? E agora, Lúcia?
 

Blog

  • por Lucia Deccache
  • Enquete
  • O que vc faria se amasse alguém fora do casamento?
    Loading ... Loading ...
Filiação, Guarda e Visitas
28 de setembro de 2017
O tesouro que a ganância não vê
Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo perdem o convívio com os filhos
Enviado por Lucia Miranda

Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo estão presos. Deixarão de conviver com seus filhos de 11 e 14 anos de idade, que teriam o direito de conviver em família se seus pais não tivessem praticado tantos crimes em busca de riqueza. A ganância os levou a perder o verdadeiro e mais precioso tesouro: a convivência com os filhos.
No caso, o casal continua com o poder familiar, mas,  como foram privados dos cuidados devido à prisão, a prole ficará sob a guarda de pessoa idônea, em regra, um parente próximo.
Vale deixar claro que o direito de guarda do filho é apenas um dos atributos do poder familiar que é a capacidade de ser pai ou mãe.
Quando o processo criminal chegar ao fim e não houver mais recursos, Sérgio e Adriana podem até ter o poder familiar suspenso, se a pena definitiva ultrapassar dois anos.
E para piorar, podem até perder essa capacidade e serem riscados como pais de seus filhos, se o Ministério Público Estadual entender que o ex-governador e a ex-primeira dama praticaram atos contrários à moral e aos bons costumes… será, hein?
Bom, o Brasil está deixando de ser Pasárgada e, pelo visto, quem vai pagar o pato são os filhos dos amigos do rei.

por Lúcia Miranda

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso

Divórcio, Filiação, Guarda e Visitas
28 de março de 2016
Rocco, filho de Madonna, ganha voz…
Enviado por Lucia Miranda

O filho da cantora Madonna decidiu morar com o pai. Rocco tem 15 anos de idade e foi visitar  Guy Ritchie em Londres, como de costume. Só que, dessa vez, ele preferiu ficar por lá e, com o apoio de Ritchie, se matriculou numa escola londrina para não retornar ao lar materno, em Nova York. Madonna procurou a justiça para exigir o retorno de seu filho e o caso está sendo julgado pelo tribunal norte-americano.

No Brasil, a  distância de moradia dos pais divorciados não contribui para o tempo de convivência equilibrado com os filhos. Neste caso, o juiz deve levar em conta a opinião deles a partir dos 12 anos de idade, considerados adolescentes pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

No entanto, a escolha dos filhos deve ser avaliada pelo promotor e pelo juiz para excluir algum prejuízo para a formação dos jovens, tendo em vista o melhor interesse destes.

No caso de Madonna, a justiça de Nova York decidiu dar voz a Rocco, garantindo a permanência temporária na casa do pai até a audiência judicial, marcada para junho, quando será decidido com quem ele fica.

Antes disso, só se houver acordo entre os pais… torcemos pelo acordo!

 

por Lúcia Miranda

Escritório Agree

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso

Divórcio, Filiação
6 de novembro de 2014
Wanessa Camargo pela paz dos pais
Enviado por Lucia Miranda

Como é bom ouvir filhos maduros após o divórcio dos pais. Assim se comportou Wanessa Camargo ao ser cobrada pelo público para tomar partido de um dos lados (Zezé de Camargo ou Zilu):

“Se põe no meu lugar: se eu defender algum dos lados, só vou colocar mais lenha na fogueira e vou deixar algum deles magoadíssimo comigo. Então, o meu papel, como filha, é sempre trazer a paz, apaziguar.”

Os filhos têm um papel importantíssimo na separação dos pais. Dependendo de suas atitudes, a culpa e os atos de vingança podem ser muito reduzidos. Infelizmente, em alguns casos, são usados como fantoches por um deles contra o outro, ao que o direito atribui o nome de alienação parental. Nesse caso, o manipulador, além de correr o risco de perder a guarda, acaba sofrendo as consequências futuras de filhos com princípios corrompidos. A criança cresce com esse espírito de briga na família, que pode refletir nos seus próprios relacionamentos.

Na família Camargo foi diferente. Apesar do natural conflito entre os pais, agravado pelo tempero picante da mídia, a filha Wanessa açucarou a discórdia e optou pela paz.

Zezé e Zilu, ainda ardidos pela separação, acabaram colhendo os doces frutos de uma árvore bem regada.

Pense nisso.

 

Por Lúcia Miranda

Escritório Agree

 

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso