Nenhum banner cadastrado


Seus Direitos

Dicas jurídicas sobre diversos temas de direito de família em linguagem acessível para uma decisão segura.

Conte seu Caso

Quem nunca passou por um problema familiar? Sua experiência pode ajudar outras famílias.

Clique Aqui
blog
Prazer em te conhecer, Pai

O ator Caio Blat passou doze anos privado de conviver com seu filho Antonio. Sua ex mulher, Ana Ariel, insatisfeita com [...]

Leia Mais
A Guarda Compartilhada reduz o valor da pensão? E agora, Lúcia?
 

Blog

  • por Lucia Deccache
  • Enquete
  • O que vc faria se amasse alguém fora do casamento?
    Loading ... Loading ...
Divórcio
4 de junho de 2013
Mulheres (mais) Ricas?
Enviado por Lucia Miranda

Dizem que Val Marchiori e o ex-amante estão de casamento marcado.

Calma, Valdirene Aparecida! Ninguém se casa com alguém já casado, ok? Aliás, essa é a grande diferença da separação para o divórcio. Separação é um tempo para o casal pensar melhor se quer romper de vez com o casamento, mas já tem efeitos sobre a divisão do patrimônio, guarda dos filhos, etc. Só não pode casar com outra pessoa. Já o divórcio é a libertação do casamento anterior que autoriza novos acertos ou erros matrimoniais.

No caso, o divórcio do noivo de Valdirene não vai ser nada rápido, a não ser que deixe para dividir a fortuna adquirida durante quarenta anos de casamento depois, o que justificaria o regime de separação de bens do novo casal. Mesmo assim é arriscado para a ex-esposa, pois o furacão Valdirene costuma dilapidar o patrimônio de quem estiver por perto. Assim tentou fazer com o dos filhos (impedida por medida judicial proposta pelo então noivo), assim poderá ser com o do futuro marido, prejudicando a ex-esposa, que optou pela partilha de bens posterior.

Só me pergunto como pode alguém mudar tão rápido de opinião, e alçar uma “golpista e prostituta de luxo” a futura esposa?

Bom, ela continua com seu discurso: “Defeito de homem é ser pobre”.

Nós continuamos com o nosso: “Defeito de homem é ser burro”.

 

Nenhum comentário
Faltam caracteres.

aviso

Divisão de Patrimônio, Filiação
1 de junho de 2013
A paz que Mandela não conquistou
Enviado por Lucia Miranda

Depois de tanta luta pela liberdade e igualdade racial, aos 94 anos de idade, Nelson Mandela merecia descansar em PAZ, aquela que lhe rendeu o prêmio nobel. Só que agora, o ex-presidente da África do Sul vem enfrentando seu pior conflito: o familiar. Recentemente, duas de suas filhas entraram na justiça para obter o controle de um fundo de investimento constituído pelo pai, de um milhão e setecentos mil dólares, para assegurar não só os filhos e netos, mas também as futuras gerações de sua família. Elas reclamam da má administração exercida pelos advogados escolhidos por Mandela, personagens que vêm expondo toda a família na mídia.

No Brasil, este tipo de organização da herança (trust) vem sendo a opção daqueles que pretendem entregar seu patrimônio aos herdeiros em etapas ou sob alguma condição. Cada família se organiza como quer, mas deve ter limites na lei. Não dá para distribuir a totalidade dos bens contra a ordem de vocação hereditária ou contra a meação da esposa. Além disso, os beneficiários devem ao menos estar concebidos, impossibilitando o benefício aos eventuais bisnetos e seus descendentes indefinidamente.

Bom, independente da forma de recebimento da herança permitida na África do Sul, a grande diferença para o Brasil está no patrimônio dos que dedicaram toda a vida à política. Enquanto Mandela deixa o ‘modesto’ patrimônio de menos de dois milhões dólares, contando com o lucro de um best seller, políticos tupiniquins, como Orestes Quércia, por exemplo, deixam bilhões para os herdeiros. Mas apesar da enorme diferença de valores, em ambos os casos as famílias estão em conflito.

Parece então que o prêmio da paz, em família, é o mais difícil de ser conquistado.

Faltam caracteres.

aviso

  1. Luiz Francisco Pereira Villela disse:

    Prefiro nem comentar, não tem como, é inacreditável e detestável.
    Prefiro dar um exemplo: Um amigo meu (já deve ter falecido), vivia só, mas sabia que tinha parentes no Brasil e por serem tão gananciosos, ele preferiu fazer o testamento e a única “pessoa jurídica” beneficiária seria a Associação Brasileira de Animais. Certo ? Na ocasião achei um absurdo. Agora que tive uma depressão que me deixou ruim, ganhei de minha filha e neta duas gatinhas maravilhosas, são as amigas e companheiras e extremamente carinhosas. Foram e são meus remédios para cura total de minha depressão.