Recentemente, Romário criticou Pelé por ter negado a paternidade da própria filha durante trinta anos e, após o reconhecimento forçado, não compareceu ao enterro dela – “e ainda se diz católico…”

De fato, nesse jogo da vida Pelé deixou a desejar. Driblou a própria filha e, no final do último tempo, tomou um golaço sem ter a humildade de cumprimentar o adversário no leito de morte.

Bom, mas isso não faz do inimigo número 11 um craque neste jogo, pois já bateu na trave várias vezes no quesito família.

O tempo passou, e nada como um terno e gravata para moralizar a imagem e apagar o passado, exceto quando um desafeto baixinho fica zumbindo no Twitter, o que nos faz lembrar o chute do rei que, pela primeira vez na história, a torcida vaiou.

Está cada vez mais difícil fugir da paternidade, pois quem se nega a fazer o exame de DNA é presumidamente o pai. Antes era entendimento do STJ (súmula 301) e hoje é lei!

Sandra teve dez anos de vida com a paternidade declarada pela justiça, mas sem o que ela verdadeiramente buscou, o amor do pai. Decepcionada, tentou compor o sofrimento com a indenização pelo abandono afetivo, mas não obteve êxito. A justiça entendeu que Pelé não podia pagar pelo que não conhecia, pois não se abandona o que não se conhece.

E qual a desculpa para o cartão vermelho aos netos, filhos de Sandra? Dois meninos fanáticos por futebol, pelo Santos e pelo avô, rei dos perebas quando o assunto é amor… se é que me entendem.

2 Responses

  1. É quase uma verdade! Pelé deveria ter sido mais prudente. Mas atrás da jovem desamparada que faleceu de câncer (quase canonizada pela imprensa) poderia haver um companheiro inescrupuloso, sedento por dinheiro e que estimulou atitudes inadequadas na vida pessoal e na vida política (como vereadora de Santos) da jovem desamparada…(?). Até na sua morte tentou tirar proveito com a clínica que a tratava…E aí, o companheiro ainda é pai dos meninos e continua como um lobo faminto atrás do dinheiro fácil. Mas Pelé errou!

  2. Logo o Brasil deixará de ser apenas o país do futebol. Seremos outros país. Com outros valores e interesses. E quando isto acontecer atitudes como do Sr. Edson Arantes do Nascimento(negar sua paternidade) e toda sua façanha no futebol será esquecida. E sobrará apenas a mesquinhez do seu ato contra uma filha que era sua própria fotocópia. Viva e verás!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *